Banner2


Conhecimentos Básicos

O QUE SIGNIFICA UFO OU OVNI - A QUE SE PROPÕE A UFOLOGIA ?

O V N I são as iniciais de Objeto Voador Não Identificado, e UFO, as equivalentes a da mesma expressão em língua inglesa. Popularmente conhecidos como discos voadores, esta denominação, no entanto, além de não se revestir de qualquer aprofundamento de ordem científica, também não consegue definir a totalidade de formas até hoje catalogadas pela casuística ufológica. Os OVNIs já foram observados, fotografados ou filmados assumindo as mais variadas formas: discóides, triangulares, cilíndricas (em forma de charuto), piramidais, de bumerangues, esféricas, etc., etc., etc.......

                         

                   Forma triangular - incidência mundial                          Forma de pratos superpostos-velhos conhecidos

      

A UFOLOGIA, como não poderia deixar de ser, crê na realidade objetiva dos UFOS ou OVNIS e procura determinar sua origem e a finalidade de suas visitas à terra. A UFOLOGIA é um ramo da nafologia que estuda o fenômeno UFO.

E o que é NAFOLOGIA?

" É a ciência ou campo de estudo que lida e examina todos tipos de fenômenos e acontecimentos que dizem existir ou que aconteceram, para quais não existe explicação científica. Inclui campos tão diversos como: astrologia, ocultismo, supertição, espiritismo e reencarnação. A meta da nafologia é encontrar respostas para esses fenômenos e averiguar como e de que maneira afetam a vida humana. Algumas das áreas de interesse dos nafologistas estão também sendo estudados por outros ramos da ciência. A parapsicologia, por exemplo, está investigando a natureza e os efeitos de fenômenos psíquicos e de energia psicocinética. Essas áreas abarcam espiritismo e ufologia. Os progressos da parapsicologia terão aplicação direta em ufologia. Reciprocamente, a acumulação de dados sobre ufologia pode ser de interesse para a psicologia". "Por definição, o campo de interesse que a nafologia engloba declina na medida em que outros ramos da ciência aumentam seu conhecimento. Muitos fenômenos naturais, acontecimentos e ocorrências que antigamente eram mistérios e constituiam fonte de susto e temor para o homem, já foram cientificamente explicados. Antigamente os homens acreditavam, por exemplo, que o raio e o trovão eram causados por deuses zangados. Com o progresso da ciência, entretanto, o homem aprendeu que o raio e o trovão são fenômenos naturais, não mais buscando nenhum significado extraordinário neste fenômeno natural". A NAFOLOGIA, ASSIM, PREENCHE UM VÁCUO DEIXADO PELA FALTA DE CONHECIMENTO CIENTÍFICO. Queiramos ou não, mesmo os grupos que se dizem usuários de critérios científicos para estudar o fenômeno, na verdade, para levar adiante tal empreendimento, são quase ou totalmente carentes dos instrumentos da ciência. E é justamente por causa desta lacuna que devemos, além do inusitado que acompanha a UFOLOGIA, também lutar para desenvolver estes instrumentos científicos para lidar com os problemas e, por fim, tentar conseguir explicações científicas para eles.


O FENÔMENO UFO NA HISTÓRIA

1.ERA PRÉ-MODERNA OU CLÁSSICA

Os contatos ufológicos acontecem desde os mais remotos tempos da humanidade. Existem autores que, após intensos estudos, indentificaram diversas passagens da Bíblia com sendo avistamentos e até contatos feitos pelos personagens bíblicos com seres extraterrestres. O assunto também é identificado em outros escritos e inscrições antigas. O avistamento narrado pelo profeta Ezequiel é o melhor exemplo.

           

Acima, algumas iluminuras elaboradas aos longos dos séculos por copistas de bíblias, cujos autores, monges cistencenses e beneditinos, basearam-se na descrição feita pela profeta Ezequiel

                   

Na visão de técnicos da NASA, no entanto, esta seria a reprodução da RODA vista pelo Profeta Ezequiel

 

 

Algumas observações estranhas registradas na antiguidade:

Na antiguidade clássica Plínio aludiu no seu escrito "História Natural", no capítulo 33, do segundo volume, ao aparecimento no céu de um sol noturno: " (...) que pôs o céu noturno tão claro como o dia... e que foi observado noutras vezes nos consulados de Cecaelius e de Papirius".

Por sua vez, Cícero conta-nos no manuscrito "A Advinhação", que em dada altura foram vistos no céu dois sóis: " (...) aquele sol que luzia durante a noite produzia muito ruído no céu, parecendo explodir".

Desde os tempos mais antigos, os homens relatam ter visto estranhos objetos no céu. Um faraó supostamente viu círculos ardentes nos céus, e os índios americanos cultuam lendas de canoas voadoras.

Os primitivos romanos relataram ter visto escudos voadores.

Segundo algumas interpretações das esculturas astecas, o deus Quetzalcoatl chegou supostamente à Terra usando um capacete espacial bicudo e numa aeronave em forma de serpente.

 

2. ERA MODERNA

A fase moderna da história da ufologia teve começo em plena 2a. Grande Guerra Mundial, quando, em 1944, pertubados com os relatórios sobre avistamentos de OVNIS por pilotos (o que já vinham ocorrendo desde meados de 1943), o Estado-Maior da Força Aérea Alemã acionou a operação URANUS. Veredicto: novo equipamento bélico inimigo, sofisticado e poderoso.

Os pilotos americanos os chamavam de FOO-FIGHTERS (CAÇAS DE FOGO). Indistintamente, os foo-fighters tanto acompanhavam aviões das esquadrilhas aliadas quanto as nazistas.

 

Na foto acima, foo-fighters acompanhando aviões japoneses.

No entanto, a data que ficou para a história e que marca oficialmente a era moderna dos discos voadores é o dia 24 de junho de 1947, quando o piloto civil Kenneth Arnold, que sobrevoava montanhas da costa oeste americana (Monte Ranier)viu nove (9) objetos que, segundo ele, tinham movimento que lembrava os de discos quando atirados na água. Segundo Kenneth tais objetos atingiram a incrível velocidade de 1.200 milhas por hora (perto de 2.000 Km/h).

Sobre o tema, interessante conhecer parte de texto de autoria de Martin S. Kottmeyer:

"Foi um incrível mistério e tamanha sensação que chegou às primeiras páginas por toda nação americana. Logo todos estavam procurando por essas novas aeronaves que de acordo com os jornais eram discóides [saucer-like] em forma. Em semanas centenas de relatos destes discos voadores surgiram por toda nação. Enquanto as pessoas presumivelmente pensavam que estavam vendo as mesmas coisas que Kenneth Arnold viu, havia uma enorme ironia que ninguém na época percebeu. Kenneth Arnold não relatou ter visto discos voadores. Em uma lembrança do incidente para o Primeiro Congresso OVNI Internacional em 1977 Arnold revelou que o termo disco voador surgiu por causa de um 'grande mal-entendido' por parte do repórter que escreveu a história para a United Press. Bill Bequette perguntou-lhe como os objetos voavam e Arnold respondeu que 'Bem, eles voavam erraticamente, como um disco se você o jogar pela água'. A intenção da metáfora era descrever o movimento dos objetos, não sua forma.

Arnold declarou que os objetos 'não eram circulares'. Uma olhada no desenho que ele fez para seu relatório para a Força Aérea pouco depois do incidente confirma a veracidade desta declaração. É difícil descrever em uma palavra ou duas; forma de besouro é o melhor que se pode imaginar. Independente de como você o descreva, uma coisa é certa. Não é a elegante perfeição geométrica alien que nós chegamos a conhecer e nos mistificar".

(Extraído de texto de autoria de Martin S. Kottmeyer)

Independentemente do equívoco, a expressão "discos voadores" logo foi adotada pela imprensa para definir um fenômeno múltiplo e que tem recebido vários nomes, de acordo com a época e a cultura dos locais onde ocorre.